Crédito: Anna Jessy FotografiaCrédito: Anna Jessy Fotografia

Se alguém lhe oferecer flores isso é impulse, quem lembra dessa propaganda? Pois eu digo, se alguém disser para você, que não tem intimidade com o uso do coletor menstrual, mulher corte a haste, a parte mais fina e alongada, fica muito mais confortável- NÃO CORTEM!!! Conselho de best friend.

Como começou o meu trauma? bem, estava eu com as amigas naquela conversa, vai gargalhada e vem vinho, quando comentei que ficava incômodo usar o coletor menstrual e a haste ficar ali na  . . . vocês sabem aonde. Então, uma delas, bailarina, conhecedora do corpo e de todas as suas funcionalidades, olhou pra mim com os olhinhos brilhantes e disse é só cortar, vai ficar muitooooo melhor.

Animadamente, assim que cheguei em casa, abri a gavetinha onde eu guardo, peguei os dois coletores, quando comprei a caixa veio dois, e cortei as hastes dos dois. Por que tudo meu é assim meu deus? é oito ou oitenta. Enfim, foi o que eu fiz.

O resultado? chegou a menstruação, coloquei o coletor e fui pra vida, trabalhei, fiz meu exercício físico e tudo lindo. Ao chegar em casa de um dia intenso, fui tomar meu banho e retirar o coletor, óbvio que eu não consegui, né?! Passei uma hora de cócoras, o suor descendo pelo rosto e pensando meu deus vou morrer de uma infecção (risos). Até que, horas depois e já quase desistindo, descobri que se a gente puxar um pouco o coletor na lateral e sair o ar que faz a pressão para ele ficar acoplado, sai facilmente. Agora vamos combinar uma coisa? faça o teste antes para ver se consegue fazer isso, porque se não conseguir, a bendita da haste vai ser sua melhor companheira na hora de retirar o coletor. Até o próximo ciclo.

Pesquisa

Destaques

Estilo é ser você

Crédito: Tiago LimaCrédito: Tiago LimaAcompanhar a moda é difícil, toda hora recebemos informações sobre novidades e o que se deve usar ou deixar de usar, dá uma canseira danada. Mas, pode ser que mesmo você consiga acompanhar o mundo frenético fashion, ainda não alcance o resultado desejado, ter seu próprio estilo. Vamos falar sobre isso agora?!

Leia mais...

Quem dança seus males espanta

Apresentação no Teatro de Cultura PopularApresentação no Teatro de Cultura Popular

Ainda lembro o dia que entrei na sala do estúdio que eu frequento. Era a primeira aula de tribal, uma fusão de dança do ventre com outros estilos, e quando a professora ia pra um lado, eu ia para o outro. Envergonhada, fiquei lá traz desejando ser invisível, embora não escapasse dos olhos atentos da professora. O meu corpo não acompanhava o raciocínio do movimento e eu pensava, estou com 39 anos isso não vai dar certo.

Leia mais...

.

16953